sexta-feira, 29 de maio de 2009

Sábado de manhã em São Paulo

Quem estiver em Sampa amanhã de manhã (não é o meu caso, infelizmente), apesar do frio ter baixado também por aquelas bandas, uma sempre ótima pedida é dar uma parada no Bar do Léo. Os que gostam de um chope bem tirado com espuma cremosa sabem onde fica: numa esquina da rua Aurora com a (se não me engano) rua dos Andradas, encravado naquele lugar tão suspeito quanto lindo, que é o centro velho da capital paulista. Bem atrás do prédio redondo do Instituto de Identificação, pertinho do final da avenida Ipiranga, lado oposto ao famoso cruzamento com a São João, imortalizado pelo Caetano e por um outro bar lendário, o Bar Brahma. Tem que chegar antes do almoço, porque aos sábados o Bar do Léo fecha no início da tarde, ou pelo menos era assim quando eu morava por lá.

Agora, pra quem mora em Curitiba (como é o meu caso), e sabe curtir o frio que faz nessa época, eu recomendo um bom chope escuro no copo caldereta, de preferência um da Brahma. Ah, e vá correndo, porque a Brahma está implantando aos poucos nos bares daqui aquela invenção ridícula que atende pelo nome de "Brahma black", uma bobagem marketeira que vai me obrigar a mudar de marca na hora em que eu quiser beber um chope escuro de verdade. Outra hora escrevo mais sobre essa história que não engulo e não vou engolir nunca. Bom final de semana!

3 comentários:

ipaco disse...

Boas dicas, Marcelo. Estou querendo muito ir a São Paulo encontrar os amigos. Abs. pt

adelaide amorim disse...

Vejo que você sente uma saudadinha de São Paulo, que é a sua terra de origem. Conheço pouco a cidade, conheço melhor Curitiba, que me parece boa de viver, né não? Mas acho uma poesia fantástica nesse "banzo" :) Beijo pra você.

Marcelo Amorim disse...

Paulo, pelo que já deu pra saber às sobras, você é um apreciador do bom chope. Então, indo a São Paulo, dê um jeitinho de conhecer o Bar do Léo. Tem que ser de segunda a sexta-feira durante o dia, ou nas manhãs de sábado. Seus amigos devem conhecer, eu imagino. Vale cada gole. Um abração, cara.

Adelaide, vim pra Curitiba a trabalho e também por opção de vida, por isso acabei ficando. Eu não gostaria de voltar a viver em Sampa, a menos que fosse por um motivo muito bom. No entanto, a cidade é sempre uma viagem fantástica pra quem pode descobrí-la sem pressa, principalmente se a pessoa já conhece alguns "esconderijos" e atalhos, ou está acompanhada de quem conheça. Beijo e ótima semana pra você