terça-feira, 26 de maio de 2009

Ianellli, o maior


Arcangelo Ianelli, em tela do argentino Pablo Di Giulio, 1991


"Cervejaria Brahma", 1957

"Vibrações em vermelho", 2001

Eu já gostava demais do pouco que conhecia da sua obra, até que vi uma exposição no MASP que retratava toda a sua trajetória artística. Desde as pinturas figurativas, passando pela fase de transição nos anos de 1950 até a definitiva opção pela abstração - estilo de pintura de minha preferência - estava tudo lá: as composições geométricas, a profundidade da cor, a luz e a ausência de luz, tudo. Sempre pensei que se eu tivesse muita grana para gastar com obras de arte, seria uma tela dele que eu compraria por primeiro. Diante de uma pintura do Ianelli, sou capaz de permanecer por horas. Soube agora que ele se foi, aos 86 anos de idade, em São Paulo, cidade onde nasceu, onde nascemos.

2 comentários:

Eduardo P.L disse...

Marcelo,

muito legal seu blog!

Parabéns!

Marcelo Amorim disse...

Obrigado pela visita, Eduardo. Dei uma parada neste blog por conta do "Notas", que é parte de um projeto que tenho para curto e médio prazo. Quem sabe um dia reativo este aqui. Um abraço