quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Vegetal

Foto de Zeca Linhares

quase entrando pela janela
a amendoeira
atira uma folha seca sobre o chão
e espanta um pedaço da noite
que ainda adormecia pela casa

(Adelaide Amorim)

3 comentários:

(l' excessive) disse...

Eu adoro os poemas de Adelaide Amorim. Aliás, vcs. não são parentes?
Já disse a ela que eles são poemas que nos fazem pensar!

adelaide amorim disse...

Fiquei prosa, Marcelo ;D
Obrigada, viu?
Beijos pra você.

Marcelo Amorim disse...

Não consta que sejamos parentes, Liz, mas confesso que eu gostaria que fôssemos. Talvez a coincidência do sobrenome só sirva pra ilustrar que somos próximos por outra via, acho que a mesma que aproxima palavras num texto ;-)