domingo, 6 de julho de 2008

Um quase diário

Campinas, SP, vista aérea da região central. Foto sem crédito

Pois é, pessoas viajam. Algumas para longe, outras para logo ali, muitas sem nem dar um passo, para dentro de si mesmas. A partir deste final de semana, o primeiro de julho, e até uns meses adiante, estarei um pouco como escreveu Leminski: com a alma rasa, perto de tudo, mas longe de casa. Não tão longe, mas o suficiente para não poder voltar ao final do dia, como fazemos todos nós, ou quase todos nós. Será uma rica experiência pessoal, em razão da convivência próxima e diária com muitos e grandes talentos, e ao mesmo tempo intensa e desafiante, pelo tanto de coisa e pela importância da coisa que terei pela frente.
Entre posts relativamente regulares que venho deixando aqui, e que continuarei deixando na medida do impossível, tentarei também trazer algumas impressões e histórias sobre lugares e pessoas com as quais vou topar nesse período. Será uma espécie de “diário de viagem”, sem a pretensão de ser diário. Como vai ser isso e no que vai dar, só Deus sabe.

2 comentários:

Lelê Busarello disse...

Boa sorte nesta empreitada ;)

BjiN além mar!

(l' excessive) disse...

vou esperar o diário das ricas experiências da viagem.
Coincidência falei hoje sobre viagens...
Boa sorte e sucesso!