sábado, 27 de setembro de 2008

O bar do maestro

Com Nelsinho Fidélis no Tonico's Bar. Foto de Viviane Moraes

Em uma cidade servida por vários excelentes bares, ser reconhecido como um dos melhores não é pouca coisa. O Tonico's é considerado o melhor bar de música ao vivo de Campinas, mas a verdade é que ele oferece muito mais do que boa música. Fica bem no centro, mais exatamente num local que já foi chamado de "largo do Capim", pois era ali que os tropeiros deixavam seus animais se alimentando. A atual Praça Antonio Pompeo, marco zero da cidade, abriga o mausoléu que guarda os despojos do maestro Antonio Carlos Gomes. Aliás, "Tonico" era o apelido do maestro, que dentro do bar recebe outras homenagens: caricaturas a granel, cartazes de divulgação de suas apresentações pela Europa, sanduíches batizados com os nomes das suas óperas, etc. No entorno estão várias outras referências da história e da boemia campineira, e o Tonico's parece sintetizar todas elas. O ambiente é muito bonito, um casarão do final do século XIX todo restaurado e com pé direito altíssimo. Só peca no ítem balcão, praticamente inexistente (eu gosto de bares com balcão). A oferta de bebidas é generosa e o cardápio de acepipes é de respeito. Mas a programação de música ao vivo merece, sim, o devido destaque. Toda noite se apresentam no Tonico's ótimos músicos, inclusive gente famosa, o que tornou o lugar uma referência na vida cultural de Campinas. E se a música boa é o destaque, o bom samba é mais ainda. Por lá já passaram gente como Noca da Portela, Nei Lopes, Moacyr Luz e Nelson Sargento. Ontem à noite eu estive lá e pude conhecer o vozeirão do miúdo Nelsinho Fidelis, cantor do Velha Arte, grupo que manda muito bem nos maiores clássicos do chamado "samba de raiz". Foi a trilha sonora perfeita para embalar as três caipirinhas que tomei com um caldinho de feijão pra lá de delicioso. Tudo tão bom que volto à casa esta noite, quando se apresenta o carioca Mauro Diniz, filho do Monarco e arranjador da Marisa Monte. E dá-lhe caipirinha! Fazer o que, quando se está numa cidade em que o aeroporto chama Viracopos?

2 comentários:

Vivi disse...

Ótimo lugar! Só ficou faltando arrancarem a camisa da Mangueira da parede pra me dar! rsrsrs

(l' excessive) disse...

Caipirinha sempre é bem-vinda.
Com aeroporto Viracopos ou não, não dá pra resistir!
ah... adorei seu verso sobre janelas, à propósito de seu comentário lá no meu blog.Sempre é bom ler o que você escreve.
Um abraço